Edição 2009

Em 2009 o Cara e Cultura Negra desenvolveu ações durante todo o ano.Iniciou em agosto com a exposição itinerante `Nos Caminhos de Zumbi’ e terminou
em dezembro com a exposição nas estações do Metro DF. Toda a programação teve acesso livre e o projeto atingiu as seguintes marcas:

Agosto a novembro

Exposição `Nos Caminhos de Zumbi’- Brasília e sete cidades satélites receberam a exposição como parte da programação anual do projeto Cara e Cultura Negra. A exposição que mostrou a história da África e toda a diversidade da cultura afro brasileira permaneceu por cerca de 10 dias em cada cidade. O festival contou com a parceria da Secretaria de Raça e Sexualidade do Sindicato dos Professores do DF. Foram mais de 10 mil alunos beneficiados e aproximadamente 2 mil professores capacitados.

dia 04 de novembro

O teatro engajado do BANDO de TEATRO OLODUM abriu as apresentações artísticas do Festival Cara e Cultura Negra 2009, com o espetáculo Áfricas, que trouxe à cena o continente africano, com suas histórias,seu povo, mitos e religiosidade, suprindo a escassez de referencias africanas no imaginário infantil brasileiro . Quase 1500 pessoas entenderam a mensagem passada e saíram encantados.

De 05 a 20 de novembro

Exposição educacional

De 05 e 06 de novembro

FORUM NACIONAL de CULTURA NEGRA – CONEXÕES AFRICA-BRASIL

Durante 02 dias palestrantes vindos de várias partes do Brasil formaram mesas para debater: Ações Afirmativas, Saúde da população negra e Políticas Publicas para a população Negra.

Foi realizada a palestra História e cultura Afro Brasileira – Nei Lopes veio  especialmente para ministrar a palestra.

Os convidados para os debates: Nelson Maca,ativista do Blacktude, da Bahia; Lia Maria, Gog, Mãe Baiana de Oyá e o antropólogo Gabriel Alvarez.

Dia 20 de novembro
Praça Zumbi dos Palmares

Artistas que se apresentaram:

Pegada Black,

Luciana Oliveira,

Ellen Oléria e

Sandra de Sá.

em suma ::

O Cara e Cultura 2009 ofereceu 04 meses com a exposição itinerante, 8 cidades, 10 mil alunos visitaram a exposição por meio de visitas guiadas, realização do Fórum Conexões África Brasil com 01 palestra e três mesas redondas, 04 shows musicais, 1 peça teatral, 6 Exposições Fotográficas, 2 exposições de artes Gráficas,o Livro Gula D’África ganhou premio internacional, 15 dias exposição educacional no Teatro Nacional Claudio Santoro, 30 dias nas estações do METRÔ DF.